Once – “Apenas uma Vez”

Maio 5, 2008

Escutei em algum lugar que “Once” é um daqueles “contos de fada urbano”. Depois de assistir o filme tenho certeza que essa afirmação é verdadeira, saimos do cinema com a sensação de não querer entrar na realidade da vida, ao menos não tão rapidamente, pois, para aqueles que são encantados por música, como eu, vale a apresentação musical.

 

Apesar de ser um filme comum, não é para um público comum, mas para os amantes da música, pois os seus personagens concentram a atuação na relação com a música que é desenvolvida por todo o filme.

 

E mais, para aqueles que ficaram, como eu, por horas a acompanhar a cerimônia do Oscar na edição de 2008, ali tomaram conhecimento da vitória da canção “Falling Slowly”, despertaram a curiosidade para o casal que compôs a música e que apareceu na cerimônia levantando a estueta e levando-a para casa, vale a revelação dos atores desconhecidos, que fazem entre suas vozes um lindo espétaculo.

 

 

Ele é Glen Hansard, o ator principal do filme, irlandês, de 37 anos, com o seu violão rachado e ela, Markéta Irglová, da República Tcheca com de apenas 19 anos, com o seu piano, convidada por ele a participar do filme que foi rodado em 17 dias nas ruas de Dublin, na Irlanda, com orçamento de 150. 000,00 dólares.

 

 

O filme é dirigido por John Carney, valendo como curiosidade ser essa um história parcialmente autobiográfica – baseada em alguns fatos da vida do diretor. E outra curiosidade é que os dois músicos-atores têm um sintonia que não é do acaso, eles já fizeram um álbum juntos, e no filme, embora sem experiência como atores, os dois interpretam os personagens com muita naturalidade, o que dá mais força ao filme e a trilha sonora é inteiramente realizada pela dupla, com boas canções como: “When Your Mind Made Up” e “Lies”, além da vencedora do Oscar – “Falling Slowly”.

 

No filme Glen Hansard é um talentoso músico, que ganha a vida com seu violão nas ruas de Dublin e ajuda o pai em uma loja de aspiradores de pó e Markéta Irglová, que anda pelas mesmas ruas, vendendo rosas para sustentar sua família e tem como hobby o piano.

 

O cenário do encontro entre Glen e Markéta é o das frias ruas de Dublin, aonde eles se encontram e a paixão pela música permite que vivam uma experiência marcante, com uma história de amor a nascer, embalada por muitas canções que começam por percorrem o sentimento deles, mas há uma realização em tudo isso, pois eles, juntamente com alguns músicos de rua que conhecem ao acaso, após um empréstimo tomado junto a um banco, partem para um estúdio e registram as canções durante um final de semana, nascendo ali uma banda talentosa, cujas músicas são marcadas por letras de sentimentos desiludidos, amores perdidos, mas há também esperança de dias melhores nessa jornada sentimental que a música retrata.

 

É importante saber que Glen Hansard, já fez parte de outra grande produção irlandesa sobre música – o classico The Commitments, de Alan Parker – e sua banda, The Frames, tem grande repercussão na Irlanda e o diretor de “Once” – John Carney, já foi baixista da banda.

 

Vale conferir “ONCE”, e apesar de em dados momentos parecer um filme vazio, isso não é verdade, há uma poesia que acabamos por encontra-la mais a fundo, na trilha sonora maravilhosa que faz com que todo o resto seja esquecido, pois a meu ver, as músicas que chegam aos nossos ouvidos, embalada com as imagens que retratam o fluir do filme, é, de fato, o ponto alto para essa farta “oferta” musical.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: