Crimes que valem a nossa mobilização…

Abril 28, 2008

Assistimos em Portugal, há meses atrás, o “Caso Mad”, como protagonista Madeleine MacCann, a garota inglesa, de apenas 4 anos, que, no dia 03 de maio de 2007, estranhamente, desapareceu de um quarto de hotel de luxo num complexo turísitico da Praia da Luz no Algarve, Portugal, quando no momento de seu sumiço, seus pais, os médicos Kate e Gerry MacCann, haviam saído para jantar num restaurante próximo do local. A criança sumiu sem deixar vestígios e a notícia de um sequestro veiculada nos meios de comunicação social foi de comoção mundial, acompanhada por milhões de pessoas em todo mundo.

Muitas buscas, mobilização mundial em torno do caso e notícias diárias na midia possibilitaram que o caso não fosse esquecido, que as investigações avançassem e assim, surpreendentemente, a polícia portuguesa ampliou as investigações e os peritos, após encontrar sangue no quarto do hotel,  passaram a acreditar que a menina pode ter sido morta no local e no decorrer das investigações, as provas apontaram, desde setembro, os pais de Mad, como suspeitos, e após depoimentos exaustivos de mais de oito horas para cada um, foram constituídos arguidos e também entraram na lista de suspeitos pelo desaparecimento.

Parece que o caso anda longe de uma resposta, de uma conclusão e a polícia portuguesa acredita que a essa altura Med talvez já não esteja viva, e é assim que uma suspeita “mostruoso” paira diante dos pais de Mad, uma possibilidade enorme de que tenha sido mais um crime cometido por pais contra uma filha menor, indefesa e sem razões aparentes ou por quês.

Agora é o Brasil que protagoniza uma história “macabra”, digna de filme de suspense tão surrealmente imaginado.

No dia 29 de março último, as 23:30, na cidade de São Paulo, a menina, Isabella Oliveira Nardoni, cai do sexto andar sobre o gramado em frente ao prédio, chega a ser socorrida, mas morre pouco depois. O pai da menina e a mulher (madastra de Isabella) vão à delegacia, onde dizem que alguém jogou Isabella do sexto andar, mas não sabem quem foi.

As investigações começam e os peritos descobrem que a tela que havia na janela do quarto dos irmãos de Isabella foi rompida, não do quarto da menina. Recolhem a tela e alguns utensílios de cozinha que possam ter sido usados para fazer o corte.Também levam amostras do sangue encontrado em vários pontos do apartamento e as roupas da criança, entre elas uma camiseta rasgada nas costas.

Passados sete dias de investigações, depoimentos do pai e da madastra, de testemunhas, laudos periciais, etc, o laudo do Instituto de Criminalística, constata que a menina sofreu um processo de esganadura durante três minutos dentro do apartamento, o que ocasionou uma parada respiratória e em seguida foi jogada da janela do apartamento e a queda ocasionou um politraumatismo, com lesões nos órgãos internos, e mais, segundo a polícia, não havia mesmo uma terceira pessoa no apartamento naquela noite de sábado, 29 de março, assim como foi constatado que a pegada no lençol da menina era do chinelo de Alexandre Nardoni, pai da garota, além das marcas da rede de segurança da janela do quarto que a menina foi lançada encontrar-se na camisa do mesmo, e mais, os laudos apontam ainda que as marcas no pescoço da garota são compatíveis com as das mãos da madrasta, Anna Carolina Jatobá.

Após tais evidências das provas e os depoimentos em que, pai e madastra ficaram por mais de 08 horas a responder as perguntas dos delgados que conduzem o inquérito, o  indiciamento do pai e da madrasta de Isabella Nardoni será por homicídio doloso e encontram-se detidos pela polícia no momento.

Ao narrar todos esses fatos aqui, dou-me conta que, de fato, não estamos diante de um filme, não é ficção, na realidade, estamos a viver mais um momento cuja a questão é: o quanto insignificante é a vida de uma criança?

O tema é preocupante e acredito que a mobilização da sociedade nesse momento, como vem acontecendo aqui no Brasil e como acompanhamos em Portugal, associada  a veiculação exaustiva da comunicação social que divulga os fatos e os propaga pelos canais de emissão, independente das razões que os motivem para isso, são os maiores aliados que podemos contar para que crimes assim não fiquem impunes e a Justiça também sofra pressões suficentes a ponto de comprometer-se com a verdade e a punibilidade dos culpados, pois vidas estão sendo levadas e não há como devolvê-las, apenas a JUSTIÇA pode ser alterada!

 

 

 

 

2 Respostas to “Crimes que valem a nossa mobilização…”

  1. castellan said

    E’ uma pena que fatos assim tao corriqueiros en todo o mundo nao sejam em sua maioria resolvidos e os culpados punidos . A falta de da cobertura da midia, infelismente no Brasil e’ um fator super marcante, pois casos como a de Isabella Oliveira provavelmente sao esquecidos e suspeitos de crimes ou mesmo os culpados nao sao levados a justica! Acho que a justica no Brasil e’ super lenta burocratica e inadequada aos dias de hoje.
    Obrigado.

  2. Aline said

    Muito bem conduzida sua narrativa.Considero importante expor tal situação, para que em meio a este”choque do cotidiano” fiquemos alerta a tal brutalidade.É, realmente, inacreditável, até onde vai o desequilíbrio do ser humano.É lamentar, refletir e tentar, em meio a tanta dor, expandir nossa solidariedade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: